A favor do vento – jangada tradicional

Minidocumentário em vídeo sobre a fabricação de jangada uma cultura secular de Canavieiras. O trabalho foi elaborado por Jessé Pimenta (imagens e narração) e João Rosário (imagens e edição).

A jangada não é simplesmente uma jangada, como qualquer embarcação tradicional ela conta uma história do seu povo, o legado, a sobrevivência, de que e como foi feita, demonstrando que não são simples pedaços de pau juntos.

E essa cultura está se perdendo com o passar do tempo. Então foi aí que Jessé Pimenta e amigos resolveram fazer uma jangada tradicional, desde a colheita dos paus até a finalização e ir pro mar. A madeira utilizada na confecção da jangada foi a piúba, também chamada na região pau-de-jangada, ou pau de bananeira.

São três espécies, uma mais leve, uma intermediária e uma mais pesada. Cada peça tem seu nome – bordos, meio e o papu –, com as navalhas, chama da de pontas. Os bancos, que cada um tem o nome: banco de governo, banco de vela e a aracambus (armação em que se penduram os aparelhos da pesca).

Normalmente a jangada era utilizada na Atalaia e Barra Velha e supria a necessidade de subsistência do pescador, que ia pescar pela manhã e durante a tarde ia para a lavoura. Canavieiras sempre teve vários jangadeiros famosos, até com travessias da cidade a Salvador, e agora nós queremos resgatar essa cultura da jangada tradicional, senão morre.

Nosso interesse é fazer um plano de manejo, pois não podemos deixar a cultura tradicional, a jangada, as canoas, os saveiros se acabarem ao longo do tempo. Infelizmente são retirados da Mata Atlântica, porém, com um plano de manejo, de forma sustentável, para podermos continuar preservando nossas embarcações e a cultura do nosso povo.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *