Encontro destacou alternativas para a destinação de resíduos sólidos no Litoral Sul

Durante uma reunião nesta sexta-feira, 15, do Consórcio de Desenvolvimento Sustentável Litoral Sul – CDS-LS, secretários municipais compartilharam da mesma preocupação com a destinação correta dos lixões em suas cidades. O secretário executivo do Consórcio, Luciano Veiga destacou que “o problema dos lixões em municípios com população inferior a 100 mil habitantes, só serão resolvidos coletivamente através dos consórcios públicos e, é preciso pensar e agir coletivamente para atingir o seu objetivo”.

A iniciativa visa atender a exigência da Política Nacional de Resíduos Sólidos (Lei 12.305/2010), que prevê a erradicação dos lixões, dando destino ambientalmente correto aos resíduos sólidos e investindo na construção de aterros sanitários. De acordo com o prazo aprovado pelo Senado Federal, os municípios tem até 31 de julho de 2018 para cumprir a determinação.

Pensando nisso, o Consórcio Litoral Sul tem trabalhando no sentido de atender coletivamente aos municípios consorciados, na busca de alternativas sustentáveis no âmbito social, ambiental e econômico. Para, isso, firmou recentemente o Termo de Cooperação Técnica com o Instituto Austríaco de Tecnologia (AIT), universidades e outros órgãos, visando garantir as melhores soluções.

Dentre as alternativas, foi apresentado nesta sexta-feira, o sistema de processamento de resíduos sólidos, criado por Railton Lima, e que visa a desintegração de massa para a geração de energia elétrica. Em conjunto com a empresa Mundial TRS – Gestão de Ativos Ltda, de Simões Filho, “a ideia é aproveitar apenas o material descartado pelos catadores de lixo para transformação em energia térmica, e posteriormente, elétrica”.

Um dos grandes benefícios dessa tecnologia para os municípios, segundo Railton são os Royalties – compensação financeira instituída pela Constituição Federal de 1988, a partir da produção de energia elétrica. Além disso, ele destaca a geração de empregos, diretos e indiretos, a partir da produção de matérias-primas.

O Consórcio Litoral reúne 14 municípios associados que vivenciam durante muito tempo, a destinação incorreta do lixo produzido nas cidades. Para o secretário de Administração do município de Barro Preto, Adriano Clementino dos Santos, “a solução tem que ser coletiva, através dos consórcios e das tecnologias existentes”.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *