Atividade econômica fraca e inflação abaixo da meta justificam manutenção da Selic em 6,50%, avalia SPC Brasil

Expectativa é de que juros permanecem em seu piso histórico até o fim do ano, mas Banco Central deve manter alerta sobre riscos relacionados à recuperação econômica, cenário externo e desajuste fiscal

O Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) considera adequada a decisão tomada na noite desta quarta-feira (20/06) pelo Comitê de Política Monetária (Copom) do Banco Central (BC) em manter a taxa Selic em seu piso histórico de 6,50% ao ano.

Na avaliação do presidente do SPC Brasil, Roque Pellizzaro Junior, a recuperação econômica tem sido menor do que o inicialmente esperado e a economia segue com elevada capacidade ociosa sem a recuperação sólida dos dados de consumo e crédito, o que mantém a inflação em baixo patamar. Além disso, as expectativas de inflação para este ano, e para o próximo, seguem ancoradas abaixo da meta, em que pese a desvalorização do real nas últimas semanas, já que o repasse de preços não é pleno neste contexto.

“A expectativa da inflação bem-comportada e o alto nível de ociosidade das empresas devem ser os principais norteadores para uma política monetária mais expansionista neste momento, sem a necessidade de aumento de juros. São esses os fatores que farão com que o repasse do dólar mais alto não seja sentido por completo sobre os índices de preços”, afirma Pellizzaro Junior.

A avaliação do SPC Brasil é de que há condições suficientes para a manutenção da Selic em 6,50% pelo menos até o final deste ano, mas que alguns riscos devem ser monitorados para um segundo cenário mais remoto. “A antecipação do aumento de juros no segundo semestre só deve ocorrer em caso de piora das expectativas de risco da economia interna, principalmente se houver alta de preços por conta da desvalorização do real. Outros riscos são as incertezas da corrida eleitoral, o desajuste fiscal e possíveis desdobramentos do cenário externo”, afirma Pellizzaro Junior.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!