Grupo de Trabalho discutirá ampliação do cultivo do cacau em sistema Cabruca

O objetivo é fomentar o cultivo por meio de  critérios associados para a recomposição de áreas de Reserva Legal.
O manejo do agrossistema Cabruca foi pauta de diálogo entre a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema), Unidade Regional do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos (Inema) e a Comissão Executiva do Plano da Lavoura Cacaueira (Ceplac-BA), na sexta-feira (27), em Itabuna. Em reunião, ficou acertada a criação de um Grupo de Trabalho com o objetivo de fomentar a manutenção e ampliação do cultivo do cacau em sistema agrossilvicultural Cabruca, bem como propor critérios associados para a recomposição de áreas de Reserva Legal.

 

O grupo de trabalho, que será coordenado pela SEMA, terá a participação de representantes do INEMA, Secretaria Estadual de Desenvolvimento Rural (SDR), Secretaria Estadual de Agricultura  (Seagri), CEPLAC e Ministério Público do Estado da Bahia (MP-BA).

 

Também na reunião, foram atendidas demandas apresentadas pela CEPLAC, a exemplo da isenção das taxas de análise dos processos de autorização de manejo da Cabruca para os pequenos agricultores familiares e assentamentos de reforma agrária, bem como a priorização da análise do projeto técnicos de manejo, apresentados e pendentes.

 

Cabruca
Na oportunidade, os representantes da Sema e Inema conheceram um projeto de recuperação da lavoura cacaueira, realizado no município de Barro Preto. A iniciativa demonstra como o manejo do agrossistema Cabruca pode ser realizado com a obtenção de resultados positivos na produtividade cacaueira da região Sul da Bahia, com sustentabilidade e valorização da Mata Atlântica.

 

Cetas
O secretário da Sema, Geraldo Reis, ainda visitou uma área da CEPLAC, na região de Itabuna, que será cedida ao INEMA para implantação de um CETAS (centro de triagem de animais silvestres), por meio do Termo de Cessão de Uso. O recurso para a revitalização da área virá do Termo de Ajustamento de Conduta (TAC), oriundo do Ministério Público Estadual.
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!