Resex trava o desenvolvimento regional

Uma série de empreendimentos que seriam implantados em Canavieiras estão paralisados ou se mudaram para outras cidades

Após a criação da Resex as fazendas de camarão de Canavieiras ficaram limitadas às etapas inicialmente instaladas, impedidas de implantarem o projeto em seu todo e, com isso, tornando sua produção restrita, inclusive inviabilizado o beneficiamento local da produção.

Pelo menos um empreendimento hoteleiro de 110 apartamentos e orçado em 70 milhões de reais, com área adquirida na zona de Barra Velha, foi travado após a criação da Resex, o que o forçou a transferir-se para o município de Itacaré, onde encontra-se presentemente em fase final de construção.

Estes são apenas dois exemplos patentes de como a Resex travou o desenvolvimento do dos municípios de Una, Belmonte e Canavieiras, impedindo o surgimento de centenas de postos de trabalho e golpeando profundamente a economia local e da própria região.

   

Por conta disso é que está marcada para este sábado (18), às 8 horas, na praça Maçônica, uma manifestação em apoio a Projeto de Lei que tramita na Câmara Federal, em Brasília, que visa transformar essa Resex (Reserva Extrativista) em APA (Área de Proteção Ambiental).

A manifestação tem o apoio de diversos segmentos da comunidade e de entidades representativas de vários setores da área privada, além da Loja Maçônica União e Caridade, a Câmara de Dirigentes Lojistas, a Prefeitura Municipal e da Câmara de Vereadores, dentre outros.

A expectativa é da presença de grande público na manifestação, rememorando o Movimento “Natureza Sim Resex Não”, que 10 anos atrás já alertava sobre prejuízos que a comunidade canavieirense sofreria como um todo com a criação da Resex, prejuízos mais que evidentes nos dias de hoje.

Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!