CANDIDATOS: A DIFICIL ESCOLHA!

À medida que o determinante encontro entre o eleitor e a urna eletrônica se aproxima, mais sério, importante e significativo passa a ser aquele ato que vai orientar nossas vidas pelos próximos quatro anos.

Aos poucos os candidatos vão chegando e apresentando as suas propostas de trabalho para reduzir, de forma expressiva, o inferno socioeconômico em que todos nós estamos metidos. Como sabemos, a Estatística, nesses casos, é de suprema importância, uma vez que ela nos referencia quem pode ser a melhor escolha para o cargo nesse momento tão significativo.

Apesar dos candidatos serem os mesmos de sempre, a confusão na cabeça do eleitor parece não ter
fim. Senão vejamos: O candidato que está em primeiro lugar nas pesquisas está preso e condenado a muitos anos de reeducação social; o segundo colocado é um candidato que se propõe enfrentar a
bandidagem de forma categórica e definitiva (uma grande parte dos eleitores demonstra repúdio
veemente ao mesmo, talvez prefira a liberdade voluptuosa dos delinquentes); o terceiro posicionado apresenta um comportamento destemperado, de difícil controle, irascível, de forma peremptória; o quarto disposto fez um especial acordão com um grande número de partidos, muitos dos quais estão comprometidos judicialmente até a alma, de tal sorte, que muitos Deputados estão, ou estiveram presos.

Esse é o quadro, por mais contrassenso que possa parecer! Uma pergunta, entretanto, nos intriga
substancialmente, é o porquê de não haver gente nova concorrendo a tão elevadíssimo cargo da vida nacional?

Apesar dos problemas serem os mesmos para todos, as propostas de soluções são as mais díspares
possíveis! Temos mais de cento e quarenta empresas públicas, sendo a maioria delas absolutamente desconhecidas para todos. Entretanto quando se fala em privatização de algumas delas todos pulam de tristeza como se isso fosse parar o país. Por exemplo, no Acre há uma fábrica pública, chamada Natex, financiada pelo governo federal, que produz preservativos que utiliza o látex das seringueiras locais. Os problemas são inúmeros, especialmente porque não há comprador para os produtos. Por que continuar com essa empresa nas mãos do Estado? A privatização não seria a melhor solução?

Nada no Brasil é privatizado sem a autorização do Congresso Nacional!

Vamos procurar alguém que governe, agregue e não quem desgoverne e desuna o país!

Adm. Prof. Cícero Maia
CRA 012.767
Print Friendly, PDF & Email

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

error: Content is protected !!